Quanto menor o bebê, mais frágil é o sistema imunológico e menor o diâmetro das vias aéreas, por isso maior o risco de problemas respiratórios severos nos recém-nascidos.

De acordo com a pediatra de São Paulo, Maria Júlia Carvalho o mesmo vírus que causa um resfriado leve numa criança maior, pode causar uma bronquiolite num bebê pequeno, o que pode ser um quadro muito grave nos bebês menores de 1 mês.

A especialista ainda explica que medidas de prevenção como, manter as vacinas em dia, estimular o aleitamento, evitar lugares mal ventilados e/ou com grande aglomeração de pessoas e evitar que pessoas doentes entrem em contato com os filhos pequenos, devem ser redobradas. Além disso, fazer a lavagem nasal com soro fisiológico e  preferir um ambiente arejado são essenciais.

“Uma orientação importante é quanto às visitas. Quando o bebê chegar do hospital, é bom evitar os excessos, pois a probabilidade de contaminação é grande. E se caso os pais notarem o bebê muito quieto, com dificuldade na mamada, aparecimento de febre ou diminuição na diurese, um pediatra deve ser imediatamente consultado”, finaliza a médica.

Gostou desse post? Compartilhe

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*